segunda-feira, 29 de maio de 2017

voo









Estou lhe grata por não me dar asas para gostar de​le. 
Iria voar, como Ícaro.










domingo, 28 de maio de 2017

tapeçaria






cruzo ​as tuas palavras com as palavras dela​,​ 
com o que e​u ​sinto, 
com o tempo que voa​,
​com a distância do desconhecido
com a nitidez do invisível
com a cegueira da lucidez
e faço uma maré de mantas de retalhos, onde, navegando, me perco nos dias, 
sem mapa, 
sem bússola
sem leme.







sexta-feira, 26 de maio de 2017

arrisco tudo








eu não me enfeito para ele, não cuido da linguagem, descuro a leitura, escrevo de rompante, chego a horas impróprias, nunca parto, ofereço-lhe o meu cansaço, exibo o meu desejo, conto-lhe da minha alma, ele sabe do meu querer, exponho o meu lado frágil, mostro as minhas defesas.

arrisco tudo.







quinta-feira, 25 de maio de 2017

da proximidade









ele não sabe que quando diz dedos, pele, nuca, água, vem, suavidade, lentidão, o meu corpo estremece à distância de uma vida.









quarta-feira, 24 de maio de 2017

estratégia










Saio da tua vida às arrecuas, enquanto me conta do teu amor por ela. Se afinal me quiseres, direi que estou a chegar. Não saberás que tentei partir, e não consegui.







segunda-feira, 22 de maio de 2017

sonhei contigo
















quem me vê, não me vê, pois esta noite fiquei presa no sonho em que sonhei com ele. estava o corpo dele nu, junto ao meu corpo nu, ele, repousando no meu braço, o rosto sobre o meu peito, a perna dele a percorrer as minhas, até ao ventre, as bocas unindo-se num despertar. o meu.












nua por dentro












todos os dias me digo que vai ser hoje que te vou deixar em suspenso. mas depois tu vens e eu com esta vertigem a percorrer-me as pernas e o arrepio dentro dos olhos e uma emoção que não sei onde nasce e um querer que não tem raízes. então, eu, bebo de ti todas as palavras, percorro as tuas mãos, agasalho-me de ti, dispo-me para ti.